13/03/2013

Fenômeno raro e misterioso ocorreu na China


Os jatos gigantes só foram registrados cinco vezes

Os fenômenos com o nome de jatos gigantes viajam mais rapidamente e vão mais longe que os relâmpagos. Isso ocorre porque o ar mais rarefeito entre as nuvens e a ionosfera oferece menor resistência e assim os jatos alcançam grandes altitudes. Somente registrados cinco vezes desde 2001, os cientistas ainda não sabem que condições ou em que tipos de tempestades favorecem a formação do ‘jato gigante’. O primeiro jato gigante confirmado foi em 2001, acima das nuvens do observatório de Arecibo, Porto Rico.
A energia do ‘jato gigante’ é muito maior do que os relâmpagos que estamos acostumados. A energia liberada representaria uma ameaça para aeronaves que voarem no espaço.
O relâmpago é uma descarga eletrostática maciça causada pelo desequilíbrio de cargas elétricas na atmosfera, enquanto o relâmpago ‘jato gigante’ é uma forma de descarga elétrica que ocorre acima das nuvens de tempestade.

Segundo o site Jornal Ciência, o Jato Gigante está incluído na lista de “Eventos Luminosos Transientes” (emissões ópticas de curta duração e, em geral, de luminosidade menor do que o relâmpago, que se desenvolvem na média e alta atmosfera), que incluem os chamados Jatos Azuis, Duendes e Elfos. Esses fenômenos se diferem pela cor e a altura que apresentam do solo. Os Duendes, por exemplo, tem coloração vermelha e correm de 30 a 90 km de altitude.
Conclusões do estudo Dr. Yang em ‘jatos gigantes’ foi publicado no Boletim de Ciências Chinesas. O documento conclui que “o jato gigante estabelece conexão elétrica direta entre a tempestade e a ionosfera, e transfere dezenas a centenas de Coulomb (unidade de carga elétrica usada pelo Sistema Internacional) da nuvem de tempestade para a ionosfera".

Veja mais